Cláudio Carneiro

Cláudio Amílcar Carmeiro

Nasceu em Chacim, concelho de Macedo de Cavaleiros, em 08.05.1931. Aí viveu até aos 30 anos, com excepção do tempo militar. Desde de criança, teve que repartir o tempo entre a guarda dos vitelos e outros trabalhos campestres.

Companheiro mais velho de sete irmãos (cinco rapazes e duas raparigas) partilhou com eles a alegria da vida rural. Pastor e boieiro, foi também lavrador. Dormiu no campo e aprendeu a auscultar os segredos da terra-mãe.

Por falta de tempo, não teve disponibilidade total para a escola primária. Terminou-a já homem, quando militar em Bragança, na Escola Regimental. Sonhador e destemido, conheceu as paragens longínquas de Goa (1955). Aqui colabora nos jornais “Heraldo” e “Diário”. Conheceu os limites orientais do Império. Embarca em Mormugão de regresso à Pátria (23.05.1957).

Em Abril de 1961, radica-se em Lisboa, chamado pelo Senhor General Paulo Bénard Guedes, penúltimo Governador do Estado Português da Índia, ao serviço de quem esteve como guarda-costas, terminada a escola de cabos em Velha Goa e promovido a 1.º cabo.

Recupera agora o tempo que lhe faltou em criança para estudar. Faz o Curso Geral dos Liceus e frequenta o Curso de Direito que não termina. No Liceu teve como professor, no antigo 7.º ano do Liceu, em português e francês, o Dr. Altino Moreira Cardoso, conterrâneo, natural de Loureiro – Peso da Régua, escritor, compositor, jornalista, informático… e, no ano seguinte, colega na faculdade de Direito de Lisboa.

Colaborou e foi Administrador do jornal “Poetas & Trovadores”, escreveu nas revistas “Mosaicos”, “Notícias Metrópole”, “Notícias Zurich”, na revista “O Bi-Tó-Rô”, da Associação Cultural e Recreativa de Soutelo – Mogadouro, da qual foi sócio, sócio da “Trasald” – Cooperativa dos Criadores e Produtores de Trás-os-Montes e Alto Douro – Porto, sócio do “Centro Cultural de Balsamão” – Chacim, está inscrito no “Grémio Literário Vila-Realense” é sócio da “Academia de Letras de Trás-os-Montes”, Bragança e  fez parte dos seus Corpos Sociais, de Junho de 2015/2017.

Tem escrito em vários jornais regionais – “Amadora/Sintra”, “Voz do Tua” – Mirandela, “A Voz do Nordeste” – Bragança, “O Coura” – Paredes de Coura, “Notícias da Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro” de Lisboa, de cuja Casa Regional foi membro da Direcção como vogal e Conselheiro Regional, pelo seu concelho, Macedo de Cavaleiros, escreveu e foi sócio da revista “Unearta”- União dos Escritores e Artistas Trasmontanos e Alto Durienses e escreveu na Revista Brigantia.

Está inscrito na “S.P.A” - Sociedade Portuguesa de Autores com o n.º 18797,  e consta no “Dicionário dos Mais Ilustres Trasmontanos e Alto Durienses”, de J. Barroso da Fonte – volume II, 2001 e em “Bibliografia do Distrito de Bragança” , de Hirondino Fernandes - volume II, C, 2012.

Escreveu e publicou: “Relíquias do Nordeste Trasmontano – poemas; “A Serra de Bornes Chacim e Balsamão” – poemas, edição do autor; “Pelo Nordeste de Trás-os-Montes” – contos;  “Vivências Inesquecíveis” – romance biográfico, edição editora Amadora Sintra; “Reminiscências de Olvido” – contos e Viagens, edição Chiado Editora. “O Sacerdote Adriano Botelho” – romance, edição Chiado Editora, “O Despertar da Alma Portuguesa in sonetos”, edição Chiado Editora. É co-autor de duas colectâneas – Poetas de Sempre, III e IV volumes, 2002 e 2003, de J. Barroso da Fonte.

Prontos para edição: “Diálogos com Deus”, “Evocações”, “Dramas de um Povo”. “Contas da Minha Aldea” – contos.

Procura cultivar o regionalismo trasmontano, sem descurar o gosto pela cultura em geral.

Viúvo desde 17 de Fevereiro de 2017, sente no seu lar e no de sua filha a riqueza dos valores familiares, expressos na alegria e inocência de dois netos que lhe enchem a casa de vida.

Regressa às suas preocupações. Escreve e lê.

 

Cónego Dr. Belarmino Afonso

(Investigador e Director do Arquivo Distrital de Bragança)

Obrigado pela sua visita

Antes de nos deixar, subscreva a nossa newsletter e fique sempre informado sobre os nossos livros.