Isabel Fazenda

Isabel Fazenda nasceu em Coimbra em 1946, e aí fez a escola primária e o liceu. Fez a sua licenciatura e mestrado em Serviço Social em Lisboa, onde vive desde os 18 anos. É casada, tem dois filhos e uma neta.Desde criança escreveu versos e pequenas histórias, na adolescência inevitavelmente confiou ao seu diário os poemas mais ingénuos, e continuou pela vida fora a escrever de forma não sistemática, sem nunca se decidir a organizar a sua poesia e publicá-la. Sempre foi uma leitora ávida, certamente herança do seu pai, que lhe abriu as portas do mundo fascinante dos livros. No entanto, a sua vida profissional como assistente social na área da saúde mental dificilmente lhe deixava tempo para a escrita pessoal. Publicou diversos artigos e um livro na sua área profissional. Recentemente, já mais liberta dos deveres e compromissos da profissão, dedicou-se a escrever apenas por prazer.Estes poemas foram escritos ao longo de vários anos, em várias etapas da sua vida, por isso não revelam um estilo homogéneo, mas sim influências diversas, desde Eugénio de Andrade a Sophia de Mello Breyner, a Walt Withman e Fernando Pessoa. Foram escritos ao sabor dos sentimentos, das esperanças e desesperanças, das alegrias e das dores de cada momento, são inspirados na vida, são pedaços da vida, ligados por uma música invisível transformada em palavras.Disse Pedro Támen recentemente que o poeta quando escreve não sabe que olhos o vão ler. Por essa razão é sempre um risco publicar o que se escreve, que não tem seguramente o mesmo significado para o autor e para o leitor. A música das palavras não é igual para todas as pessoas, mas talvez estes versos possam tocar a sensibilidade de alguém, e essa é a única recompensa que a autora espera receber. 

Obrigado pela sua visita

Antes de nos deixar, subscreva a nossa newsletter e fique sempre informado sobre os nossos livros.