Manuel Carqueijeiro

 Nasceu em Setúbal a 6 de Abril de 1931, filho de Mário Tomé Carqueijeiro e deCistódia Mendes da Conceição.Fez o ensino primário na Escola Primária Elementar de São João, em Setúbal.Frequentou o Liceu Bocage e, posteriormente, o Liceu Camões em Lisboa.Ingressou na Faculdade de Direito da Universidade Clássica de Lisboa, onde se licenciou a 22 de Julho de 1954.Já licenciado, inscreveu-se na Ordem dos Advogados, a 4 de Abril de 1956, tendo sido seu patrono o Dr. Manuel Antunes, com escritório en Setúbal. Iniciou a advocacia nas comarcas de Setúbal, Alcácer do Sal, Montigo, Moita, Almada e Lisboa. Por deferência pessoal do Prof. Adelino da Palma Carlos, seu antigo professor de Direito Processual Civi, deslocou o seu escritório principal para Lisboa.Em 1975 foi eleito vogal do Conselho Distrital de Évora da Ordem dos Advogados. Em 1984  foi eleito Vogal do respectivo Conselho Geral. E, em 1987, foi eleto Vogal da 4ª Secção de repectivo Conselho Superior.Activo defensor da prática da cidadania, foi eleito Presidente do Rotary Clb de Setúbal e Vice-Presidente da Assembleia Geral do Vitória de Setúbal. Integrou o Conselho Jurisdicional da Associação de Futebol de Setúbal, tendo participado em vários torneios, desde a Praia da Rocha, Portimão, até Coimbra, passando pelo Barreiro, Lisboa e Caldas da Rainha. Em Fevereiro de 1957 fundou o Núcleo Académico de Intercâmbio Cultural, em Setúbal, acompanhado por Manuel Maria Poitier Braz, Artur Ribeiro e José Fernando Alves Cândido.Manteve relações próximas com alguns poetas, designadamente com Sebastião da Gama, Artur Ribeiro, Miguel de Castro e António Osório. Em Lisboa, colaborou na Revista denominada "Anteu", a quel teve duas edições, a segunda publicada, em Maio de 1954, com os seguintes colaboradores: Pedro Tamen, Maria Valupi, Rogério Fernandes, António Osório, e o próprio Manuel Mendes Carqueijeiro, sob o pseudónimo Mário Mendes, com o conto "A campânula de vidro".Teve o privilégio de conhecer figuras que influenciaram o seu pensamento, designadamente, a Dra. Elina Guimarães, uma das primeiras defensoras da Codnição Feminina de Justiça, e o Conselheiro João de Deus Pinheiro Farinha, Presidente do Tribunal de Contas e Ministro da Justiça no VI Governo Provisório.Em termos gerais, sempre procurou desfrutar dos diversos prazeres da vida, sempre, em associação com outros que convergiam nos mesmos interesses.O domínio da prática literária levou-o a que, em paralelo com a sua prática profissional e ao longo da sua vida, fosse registando os seus poemas, prosas e outros artifícios da escrita que ilustram o seu pensar. Este livro que agora chega ao prelo é p primeiro, em forma de antologia de poesia.

Obrigado pela sua visita

Antes de nos deixar, subscreva a nossa newsletter e fique sempre informado sobre os nossos livros.